quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Discos Twenty Years - Killing Joke "Outside the Gate"



Os londrinos Killing Joke foram formados em 1978 pelo vocalista e teclista Jaz Coleman e pelo baterista Paul Ferguson. Para completar a banda convidaram o baixista Youth e o guitarrista Geordie e iniciaram a carreira com o EP "Almost Red", de 1979, que chamou a atenção de John Peel, que os convidou para uma apresentação ao vivo no seu famoso programa de rádio, a 17 de Outubro. Devido ao sucesso obtido com esta apresentação, os Killing Joke assinaram com a Island Records, mas com a condição de continuarem a lançar os seus discos pelo próprio selo da banda, a Malicious Damage. Em fevereiro de 1980 lançam o primeiro single "Wardance" que trás no lado B "Pssyche" e logo após este lançamento a banda troca de editora e assina com a EG, onde lançam o seu primeiro trabalho de originais, um álbum homónimo que influenciou uma geração de novas bandas (Metallica, Nine Inch Nails,etc.). Com este disco, a banda começou a tocar regularmente pela Inglaterra, ganhando reputação e criando controvérsias através das imagens repulsivas usadas num cartaz de promoção de concertos com a imagem do papa a abençoar soldados nazis, que lhes valeu o cancelamento de uma apresentação em Glasgow, na Escócia. Este cartaz tornou-se mais tarde a capa da compilação "Laugh? I Nearly Bought One". Apesar de tudo isto, os Killing Joke iam ganhando cada vez mais adeptos.
Em 1981 lançaram "What´s THIS For...!" que inclui o tema "Follow the Leaders". Um ano depois segue-se "Revelations" e o interesse de Coleman pelas Ciências Ocultas que o levaram a acreditar que o fim do mundo estava próximo e por esta razão deixa a banda por um ano e refugia-se na Islândia. Em 1983 a banda reune-se e lança o quarto álbum "Fire Dances" que marca o regresso ao som feito no disco de estreia. Mas as mudanças viriam com o lançamento de "Night Time", de 1985, onde os Killing Joke deixam de lado a agressividade dos trabalhos anteriores e assumem um lado mais convencional e acessível que tornam "Love Like Blood" e "Eighties" as músicas mais conhecidas da banda. Apesar do sucesso comercial do disco, "Night Time" marca o começo da decadência da banda, como é demonstrado no ano seguinte com "Brighter Than a Thousand Suns" e também em 1988 com este "Outside the Gate" que representa um dos piores discos editados há vinte anos, pois foi um autêntico fracasso e a meu vêr, feito apenas para cumprir o contracto assinado com a EG. Depois deste disco os Killing Joke sofreram algumas modificações, lançaram duas mãos cheias de albuns e de banda influente, passaram a ser uma banda influenciada por outras. Na década de 80 e sem precisar a data os Killing Joke vieram a primeira vez a Portugal para um concerto no mítico Rock Rendez Vous e regressaram em 1991 para fazer a primeira parte do concerto dos Pixies nos Coliseus de Lisboa (13/6) e do Porto (14/6).


video

2 comentários:

M.A. disse...

Isto ultimamente tem andado numa verdadeira maré negra :)

Barbed Wire disse...

A linha de baixo de Eighties foi plagiada pelos Nirvana no tema Come as you are...