domingo, 15 de junho de 2008

A despedida dos Heróis do Mar


Os Heróis do Mar foram uma banda pop rock, formada em 1981 por, Paulo Pedro Gonçalves (guitarra), Carlos Maria Trindade (teclas), Tozé Almeida (bateria), Pedro Ayres Magalhães (baixo) e Rui Pregal da Cunha (voz).

A escolha do nome Heróis do Mar, retirado do hino nacional, não foi casual, todos os pormenores foram pensados, tal como a opção por um visual futurista, militarista e por letras simples que projectavam um imaginário cultural nostálgico de Portugal. Houve, até, quem os acusasse de neofascistas ou neonazis. O seu estilo musical, ainda que próximo de algumas fontes portuguesas ia beber ao fenómeno neo-romântico que despontava em Inglaterra liderado por bandas como os Spandau Ballet ou os Duran Duran.

Os cinco Heróis estão também envolvidos no último disco de António Variações "Dar e Receber", onde todos tocam. Pedro Ayres Magalhães e Carlos Maria Trindade assinam a produção e os arranjos. São eles também que acompanham António Variações nos seus últimos dias.

Em 1983 a revista inglesa "The Face" considera os Heróis do Mar o melhor grupo de Rock da Europa. O "Amor" torna-se no primeiro Maxi-single da história da música Portuguesa e como single é também o primeiro Disco Platina.
Em 1988 com o álbum "Heróis do Mar IV", já sem Tózé Almeida, meses mais tarde, os Heróis acabam e seguem cada um o seu rumo, terminando desta forma um projecto que revolucionou e inovou. A história da banda é revisitada no documentário "Brava Dança", de Jorge Pereirinha Pires e José Pinheiro em Abril de 2007.

1 comentário:

Luís Cardoso disse...

Boas. A colagem que (invariavelmente) se fez dos Heróis do Mar aos Duran Duran ou Spandau Ballet sempre me pareceu abusiva e redutora. Mas, como tudo, são apenas opiniões. O que é um facto é que "Amor" não é o primeiro maxi-single da música portuguesa: em 1978, quatro anos antes, os Arte & Ofício já tinham publicado "Come Hear The Band/O Carcarejo da Galinha"... Um abraço.