sábado, 19 de dezembro de 2009

Top Ten 1989 - The Jesus and Mary Chain "Automatic"



Este é o terceiro álbum de estúdio dos The Jesus and Mary Chain que apresenta uma sonoridade mais áspera e mais agressiva do que o "Darklands", mas sem nenhuma alusão ao, único, "Psychocandy". O então desconhecido produtor, que agora é super famoso, Alan Moulder, fez um grande trabalho porque encontrou uma forma de misturar o som das guitarras sem estas soarem a comercial. Na altura o que restava da banda era apenas os irmãos Reid e tal como em "Darklands", a bateria era fornecida por máquinas sentindo-se ainda a falta do trabalho, distinto e individual, de Bobby Gillespie, embora nas prestações ao vivo, Richard Thomas (Dif Juz, Cocteau Twins, This Mortal Coil) substituísse as batidas sintetizadas. De igual forma, grande parte do baixo também foi criado através de sintetizadores e quando "Automatic" ficou pronto, a crítica não foi muito favorável, mas todos nós podemos descobrir o brilhante single que a ele irá estar sempre ligado.

video

"Head On" é mais um daqueles momentos únicos e muito especiais de criação, que mais tarde iria ter uma versão feita pelos Pixies. "Blues From a Gun" foi a escolha para o segundo single deste álbum, muito longe da minha que seria o "Between Planets" ou o "Halfway to Crazy".

Comprar na Yeah

3 comentários:

Barbed Wire disse...

Um álbum ainda hoje incompreendido. Convenhamos que saiu muito à frente da sua época. Hoje é perfeitamente normal associar electrónica pura ao rock n' roll... na altura foi um sacrilégio, ainda por cima cometido pelos autores de Psychocandy!!!!!
Olha que o Blues From a Gun é um grande tema mas de facto o Between Planets teria funcionado melhor...

M.A. disse...

Partilho em absoluto com a opinião do Barbed Wire, inclusive em relação ao "Blues From a Gun", como de resto já deixei expresso aqui:
http://april-skies.blogspot.com/2009/11/discos-perdidos-31.html

Abraço

aBell Montenegro disse...

Barbed Wire, Eu tenho a certeza que o Between Planets funciona melhor :). Aproveito para te dizer que vou fazer os possiveis por manter esta brincadeira por mais vinte anos para falar do teu "Love the Gun" ;)

M.A., Pois é, já tinhas também falado deste disco, uma coisa perfeitamente natural, não é verdade? :). No futuro, quando acontecer o mesmo, vou tentar fazer referência ao teu blogue e aplicar um link. Já ouviste o "Love the Gun"?